Sentimentos sufocantes

Balanceio o meu braço direito que,tal como todo o resto do meu corpo, há horas se tinha imobilizado.

         Acordo de uma directa e desvio o meu olhar perdido reparando que são agora 4:60.
Respiro fundo numa tentativa de lavar a cara aos pulmões, em vez disso respiro um ar que me arde, que me gela, que me faz ter a certeza que tudo o que sinto não é mera ilusão.
            Lentamente enxugo as lágrimas salgadas que vagueaim pelo rosto já inundado, corro as cortinas e vejo que lá fora reina a mais profunda escuridão como se fosse o fundo do mar.
            Sinto que agora já não há nada a fazer, tremo muito, tenho medo que este silêncio esmagador me sufoque mas quem não tem? Sabes, há dias em que as névoas que esvoaçam na tela do meu pensamento se afastam, em que penso ter força para não fugir. Penso como será tudo daqui a 5 anos mas depois lembro-me que é demasiado tempo para esperar até lá.
            Há dias em que me olho mas não me conheço, ou será que anseio ver outra pessoa que não eu?Outros sinto que esta ferida que não sara se esconde por detrás de momentos efémeros. Foi no momento em que me desenhaste asas que consegui ver o mundo, não precisei de fingir que sorria, nem tão pouco senti frio. Afinal já não sentia o deserto dentro de mim.
            Lá ao fundo, naquele grande largo que tão bem conheço, uma ou outra luz dá vida aqueles lares que são muito mais que casas.Sinto inveja, quando noto que cada uma dessas pessoas que passeia pelas pequenas e acolhedoras divisões se reconhecem quando se olham.
            No outro dia fui à praia, aquela praia deserta que tantas vezes busquei inspiração. As àguas profundas do oceano sempre me ajudaram a lavar a mente. Procurei algo que me tirasse o peso das noites, a angústia das madrugadas e o sufoco dos dias mas a vida, tão inquieta, pesa demais no meus ombros.
            Mais do que nunca é-me impossivel parar de tremer.Na escuridão consigo ver uma névoa branca que se fixa no meu pensamento apagando todas as recordações que me sufocam, em meros segundos ela evapor-se-à. Por agora, lembro-me do momento em que transformaste o meu mundo, se ao menos a vida tivesse parado nesse instante.
           
publicado por Morgen às 11:16 | link do post