Sábado, 05.09.09

Palavras

A alvorada rompe com pequenas penugens que bruxeleam no ar, estas dançam umas com as outras numa valsa sem fim.

Nesta manhã, como em tantas as outras, deixo os mais profundos sonhos do meu insconsciente  embrulhados nos lençois da noite anterior e abandono a posição horizontal.
As palavras cativam-me, chama-me e imploram-me para que lhes dê vida, anseiam ardentemente por terem uma alma, e é nesse preciso momento que me sento em frente a uma mesa em vidro, que espelha o mais profundo do meu ser, e me sinto nua, apesar da imensa roupa que carrego em mim.
Tantas são as palavras que se envolvem em frases ritmadas, tantas são aquelas que se devoram, que se amam, que se involvem, que se entregam como se esperassem um sopro do deserto, e há mesmo aquelas que chegam a planear uma secreta fuga.
É no momento em que as palavras se deixam seduzir e posteriormente capturar que me sinto a pairar acima do mundo e aí sei que muitas delas me relembram de ti.
Não sei há quanto tempo estou aqui, que importa o tempo quando nos entregamos a uma cavalgada ritmada?
Os ponteiros acariciam-se e beijam-se, é hora!
 
 
 
 
 
p.s: Em relação ao último post, tudo vai indo, devagarinho...
publicado por Morgen às 13:54 | link do post | comentar | ver comentários (200)
Segunda-feira, 27.07.09

Momentos

Foram tantos os momentos em que nos beijamos, abraçamos e voamos.

Foram tantos os momentos em que fizemos de um segundo a eternidade e viajamos por locais nunca antes conhecidos.
Foram tantos os momentos em que a tua boca se confundia com a minha que por vezes nem conseguia perceber qual era a minha e a tua.
Foram tantos os momentos em que os nossos olhares se cruzaram, os nossos corações palpitaram e as nosssas mãos se entrelaçaram.
Foram tantos os momentos em que os nossos corpos se uniram, admitindo tão somente unirem-se cada vez mais como  se de um imam se tratasse.
Foram tantos os momentos em que me deste a provar o néctar dos Deuses e me mostraste que a soma de um mais um poderia ser um.
Foram tantos os momentos em que reduzimos o mundo lá fora e construimos o nosso própria recanto.
Ao longo do tempo fomos construindo um imponente castelo com fortes muralhas para que à primeira rajada de vento ou com uma forte tempestade este não se desmorone.
Foram tantos os momentos em que a distância foi vencida e que o tempo sem ti foi consumido.
Foram tantos os momentos em que nos desenhaste asas e levantamos voo e mesmo quando a força da gravidade nos trazia de novo para uma realidade mais nefasta, os nossos corações conseguiram palpitar de novo em unissono e pairar sobre o infinito.
Foram tantos os momentos que as nossas pegada nunca poderão ser apagadas.
publicado por Morgen às 00:02 | link do post | comentar | ver comentários (145)
Segunda-feira, 06.07.09

Esta manhã

    Esta manhã o sol já não cobriu com alegria todas as nuvens que pairavam no céu nem o pintou com cores do amanhecer.

    Esta manhã surgiu lentamente mas não de mansinho fazendo com que as recordações que tenho de mim, que tenho de ti, de nós divagem pelo meu espiríto não me conseguindo libertar das mesmas.

    O ar tornou-se gélido e carregado deixando de respirar paixão e amor. Talvez agora posso afirmar que sou retornada de um paraíso efémero que não durou mais que meros segundos, mesmo assim fui feliz, pois o amor é medir o pulso á eternidade.

   Agora percebi que temos asas de papel e não de cetim e que por vezes o rosto não espelha o que o coração sente. Agora sei que se pode acordar sem sequer se ter adormecido, chorar sem sequer derramar uma única lágrima. Percebi que tudo começa depois de arduas batalhas e tudo acaba num segundo.

 

 

já tinha saudades de escrever algo mais decente...

publicado por Morgen às 21:59 | link do post | comentar | ver comentários (53)
Domingo, 21.06.09

Novo

  • Por motivos de força maior vi-me obrigada a apagar o outro blog.
  • Espero que me continuem a visitar neste.
  • Os posts vão continuar a ser também só para amigos.
  • Já agora, irei responder a alguns comentário que me façam aqui no blog :)
  • Desde já agradeço a visita e a perda de tempo ao ler o que escrevo
publicado por Morgen às 11:34 | link do post | comentar | ver comentários (55)